Cultura em Revolução

O que sabemos nós da iconografia do 25 de Abril? Muito pouco se tivemos em conta que somos filhas dessa revolução mas também da fase de esquecimento e euforia que se seguiu. Bem sabemos que podem até nem ser os melhores exemplos de cartazes, as melhores composições, autores anónimos e pouco reconhecidos… Mas que o importa? O que fomos vendo e aprendendo, fraccionado e sem linha cronológica, sempre nos emocionou: surgiu dessa urgência, dessa necessidade, mesmo se presos a linguagens infantis e/ou amadoras. Não importa.

Amanhã teremos a grande sorte de podermos conversar com o Armando Alves e o Mário Moura sobre o 25 de Abril Gráfico. É às 21,30h na biblioteca Almeida Garret.

Mais informação aqui