Apresentação

Há várias formas de nos apresentarmos e escrevermos sobre nós: formas pomposas, sérias e formais, bem dispostas, honestas, melhor ou pior escritas… Já escrevemos muitas bios, já habitamos muitos espaços e é de todas essas vivências que a nossa bio, o nosso trabalho, permanece e se modifica.
Começamos a trabalhar e a partilhar casa/atelier na Rua da Alegria, Caldas da Rainha em 2004. Por esta altura a história era curta e separada:

Joana Baptista Costa frequenta o 5º ano de Design Gráfico na Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha. Concluiu o curso tecnológico de Comunicação Gráfica na escola António Arroio em 2000. Nasceu em Lisboa em 1982. Mariana Leão frequenta o 5º ano de Design Gráfico na Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha. Concluiu o curso geral de Artes Visuais na escola Soares dos Reis em 1999. Nasceu em Paredes em 1981.

Alegria

Não pensávamos ainda trabalhar como equipa, apesar de sempre o termos efeito até então. Na escola percebemos que o trabalho solitário não nos agradava. Percebemos que gostávamos do trabalho partilhado, de discutir, de criticar… Fomos errando, mudando e crescendo em conjunto. Em 2006, actualizamos por isso a informação:

Joana e Mariana conheceram-se há cinco anos atrás, altura em que iniciaram o seu percurso escolar numa estranha cidade. Desde essa altura tentam dar continuidade a um trabalho conjunto, que tem tanto de preguiçoso como de obsessivo.

Pouco tempo depois, acabado o curso, arrumamos a nossa tralha, enfiamos seis anos numa carrinha de mudanças e seguimos em direcções opostas. Depois disto, o mais prático seria cada uma arranjar o seu emprego, seguir a sua vidinha e amigas como antes:

Em 2006,  atiram-se para o mercado de trabalho mais tarde do que se esperava. Em 2007, já no Porto, enquanto aprendizes desse mundo laboral trabalham num estúdio de design onde desenvolvendo campanhas de comunicação para sedimentada instituição cultural da capital, para jovem e promissora editora de arquitectura, bem como,  para um afamado espaço nocturno portuense onde, têm também a oportunidade de desenvolver uma breve carreira como vitrinistas.

A meio de 2008 em atelier próprio, adoptamos a assinatura Joana & Mariana ao escrever numa ficha técnica um nome que naturalmente já usávamos.

Em 2009  São surpreendidas por variadas ocorrências que marcam o ano. E convêm-se de uma máxima — entre outras coisas — são designers gráficas!

A dada altura começamos a conseguir enumerar uma lista de projectos já desenvolvidos. Nesta fase tivemos a sorte de trabalhar em alguns projectos com os quais nos podemos envolver de uma forma particular. Projectos que nos permitiram avançar sem definir previamente a forma do objecto final. Sabíamos onde queríamos chegar mas não condicionamos à partida a forma como o faríamos. Gostámos de sair de frente do computador e procurar formas de trabalhar que não conhecemos… na necessidade de não separarmos aquilo que somos daquilo que fazemos. Entre aquilo que queremos ser e aquilo que queremos fizemos escolhas.

Conheceram-se em 2000, altura em que ingressaram no curso de Design Gráfico que viriam a concluir em 2006. Desde então começaram a desenvolver projectos conjuntos. Actualmente tentam levar a cabo a profissão num pequeno atelier não oficial. Trabalham quase todos os dias.

Ainda nesse ano: Joana & Mariana, desde que terminaram a sua licenciatura dão continuidade a um trabalho conjunto, às vezes interrompido por trabalhos precários e paralelos. E porque ainda têm muitos objectivos para cumprir necessitam de lucidez, velocidade e profundidade. São optimistas.

Em 2011, escrevemos a bio mais sucinta e…. também/talvez a mais séria:

Joana Baptista Costa e Mariana Leão são designers gráficas e investigadoras, frequentam actualmente o doutoramento em Arte e Design na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Desenvolvem projectos em conjunto desde 2000, estudando e escrevendo sobre design gráfico e identidade nacional.

No final de 2012 mudamo-nos para o novo atelier, um espaço vazio e perfeito para o nosso modo de trabalho — espaço exterior amplo vigiado pela estátua de um operário pedreiro. Nesse mesmo ano compramos uma riso que que nos permitou automatizar os nossos modos de produção.

SCPOPP

Gostamos de pensar que em 2013, 2014 ou 2015 continuaremos a trabalhar… Esperamos conseguir aumentar a nossa desejada lista de projectos… quem sabe trabalhar para a indústria musical… quem sabe conseguir por em prática o nosso interesse pelos livros… escrever com mais regularidade… Esperamos sobretudo que os anos, as lutas que travamos, a crise e as dificuldades que todos os dias sentimos, não nos roubem o vigor que ainda sentimos.